Mercado

Festas juninas aumentam consumo de amendoim em todo o País

 

Pesquisa mapeia aquecimento da indústria por região

 

Paçoca, pé de moleque, pé de moça... quantas delícias juninas será possível fazer à base de amendoim? Pois é justamente no período das festas que o comércio de amendoim no país fica mais aquecido, caracterizando-se como um dos mais importantes para a indústria.

O Brasil é o 14º maior produtor de Amendoim in natura do mundo e vem aumentando sua capacidade de produção. Segundo dados do CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento), o setor de amendoim, estimou em volume de produção de grãos, 515 mil toneladas na safra de 2018/2019, no qual 95% da produção é realizada no estado de São Paulo.

Uma pesquisa encomendada pela Abicab, que representa os principais fabricantes de Chocolate, Amendoim, Balas e derivados do País junto às esferas pública e privada, no Brasil, mostra que nos locais onde há a prática de festas juninas e julinas o consumo do produto é bem mais expressivo.

A região Nordeste, onde as tradições populares são mais intensas, concentra a maior parte desse movimento da indústria (77%), seguida pelo Centro-Oeste (70%) e Sudeste (63%).

Ainda vale ressaltar que a mesma pesquisa atestou que a paçoca ainda é o tipo de amendoim mais consumido (69%) entre os entrevistados, seguido de Amendoim japonês (59%) e Amendoim sem pele (55%).

O presidente da ABICAB, Ubiracy Fonsêca, ressaltou a importância do produto nesse período. “Amendoim é uma paixão do brasileiro, mas temos períodos chaves em que esse mercado se movimenta de forma mais acelerada. 

A temporada de festas de junho e julho é um desses e a pesquisa Conecta confirma essa percepção, já que 87% dos respondentes informaram que essa temporada é a principal ocasião para o consumo do produto”. concluiu Fonsêca.

Representando mais de 60% do mercado, a ABICAB tem uma especial preocupação com a qualidade da produção do amendoim e do produto que chega à mesa dos consumidores e por isso mantém ativo o Programa Pró-Amendoim.

As empresas associadas que possuem o selo “Qualidade Certificada Pró-Amendoim-ABICAB” atendem os requisitos da legislação em relação aos níveis de aflatoxina, e fabricam produtos à base de amendoim totalmente seguros (auditados e monitorados pela auditoria DNV-GL).

O programa colabora com a denúncia de produtos irregulares por meio do monitoramento e da análise realizada pelo laboratório LAMIC.

Com uma produção forte e cada vez mais qualificada, a exportação alcança 89 países como Rússia, México, Polônia, Espanha, Reino Unido, e África do Sul. O setor de amendoim exportou em 2018, 238 mil toneladas de amendoim in natura, correspondendo a um valor de US$ 266 milhões.

 

Leia também: KLF Festas aposta em itens juninos reutilizáveis

Leia também: Praticidade é palavra de ordem da Plasteng

 

Fonte: Primeira Página

 

Redes Sociais